sexta-feira, 26 de maio de 2017

Uma lenda viva e querida - Fabio Oliveira

Uma lenda viva e querida

Há 39 anos nascia em Pelotas o pai de Katherine e Heloise. Há 39 anos mora em Pelotas, cidade onde iniciou sua carreira como ginete, aos 13. Esses 39 anos galgaram o nome de Fabio Bueno de Oliveira à lenda. Da gineteada e da vida, querido por todos. O pai das gurias e padrasto do Lucas, hoje com 15, 8 e 20 anos, conta um pouco sobre como chegou até aqui.

                                               

Foi no 1° Rodeio na união Gaucha, incentivado por seu pai, Ruy Oliveira, sua mãe Onira Oliveira, e mais Roni Brum e Julio Costa que o pequeno Fabio começou a vida de ginete. E a trajetória mostra seu empenho, dedicação e vitórias: ganhou nove motos e uma S10 - a única dada em rodeio de gineteada até hoje, conquistada em Vacaria, em 2000, na égua da tropilha do Polaco. Égua essa que, pelo feito, foi apelidada de S10. Fabio lembra de ter tirado mais de 10 invictos, dentre os mais importantes: 3 Marcas, Cofre, Vesga e Satazinho, ressaltando que o melhor cavalo que já montou foi, sem sombra de dúvidas, o Picaço de Rullo, uruguaio. 

Fabio é dos ginetes que podem ser tratados como lendas da gineteada, pois quando iniciou sua carreira impôs de metas ser campeão da Semana Criolla del Prado e da Vacaria, e quando teve a oportunidade, lá estava ele, no pódio em primeiro lugar nos dois eventos. E nos dois eventos, coroados como o melhor. Atualmente segue trabalhando com o cavalo, tem um centro de domas, mas ainda há um feito a ser realizado - outra meta da lenda: montar a égua La Tombola, reservada que ainda não passou por ele. 

A lenda é humilde e companheira: Fabio destaca outros grande nomes da gineteada na atualidade, alguns com quem guarda histórias e causos. São eles: Raposa (em se tratar de aporreados) e Felipe Felix, Pierre Rocha e Francisco Neto, dentre tantos outros. "Minha história não tem nada de diferente dos ginetes da minha idade, Reno, Petim, Barba Azul, Lucio Terra, Bugre, Toni Girard, Carlos Corbo, Júlio costa, Jardel Cruz e vários outros... Trabalhamos com dedicação total para rodeios e muito companheirismo, como uma família...e hoje continuamos do mesmo jeito, só por estradas diferentes", sentencia Fabio.
                                                

Quando questionado por uma das histórias, ele lembra de imediato. "Tenho uma historia com o Reno no ruedo do Prado, em 2000, que ele montou uma égua em basto oriental... quando a égua saiu corcoveando deu três ou quatro pulos e se planchou com ele. O Reno ficou enredado e eu fui o primeiro a chegar e pegar no buçal... e também fiquei enredado... olha, foram minutos pavor. Mas graças a Deus deu tudo certo, os outros companheiros chegaram e agarraram a égua. No outro dia lembro de ter recebido os parabéns por ter sido o primeiro a chegar para ajudar", lembra emocionado. E finaliza: "ter companheirismo entre os ginetes, humildade e nunca desistir, essa é a regra básica e fundamental! Ninguém nasce campeão e o segredo para o sucesso é dedicação e sorte."






Lidiane, esposa

A nossa caminhada juntos já fechou 19 anos eu nem sabia tamanho a importância dele neste mundo da gineteada descobri isso no primeiro rodeio que fui com ele fora de Pelotas.
No rodeio da vacaria, lembro que ele já tinha ganho a caminhonete e as pessoas vinham cumprimentar ele com admiração, chamar pra dar entrevista na rádio, nossa, foi surpresa pra mim!
Eu estava namorando um astro da gineteada. (Sorrisos).
Uma pessoa super dedicada no que faz, se tinha um rodeio pra ir era toda a semana de preparação louco que chegasse o dia.
Falo no passado porque hoje ele já tem outra profissão, domador que mesmo nesta é tamanha dedicação, pega um potro xucro e transforma em um cavalo que qualquer criança pode andar, tem a maior paciência o maior amor no que faz.
Fabio é incapaz de judiar de um cavalo, admiro chegar no galpão e todos os cavalos calmos, porque sabem que quem esta cuidando deles é o Fábio que ama o que faz.
Um pai amoroso, carinhoso, um companheiro sem igual. Amigo, leal, uma pessoa humilde e sempre disposto a ajudar as pessoas, O Fabio é capaz de tirar do próprio corpo pra dar pro outro mesmo sem saber quem é, mas... como todo mundo tem os momentos de rabugice., mas que logo já some porque na mesma hora já vem com alguma brincadeira pra amenizar.
Sei dizer que é uma pessoa muito especial!

Leandro Bittencourt

Falar de Fábio oliveira e uma questão até de satisfação pra mim um cara humilde gente buenisima e um ginete pra mim sem comentários!
No meu ponto de vista um dos homens mais ginete que conheci e graças a Deus tive o privilégio de ser amigo desta pessoa, m cara com um talento fora do comum, só quem conseguiu ver este cara montando um cavalo sabe o que falo.
Fabio tem uma facilidade enorme de parar um cavalo brabo sem mostrar dificuldade nem uma pra quem olha, desde que comecei a montar sempre tive vontade de poder pelo menos conversar com esta pessoa e hoje graças a Deus somos amigos íntimos e sempre que estamos juntos nos rodeios tenho o prazer de eu ir ao palanque ajudar ele e ele também me ajudar quando é minha vez de montar.
Muito obrigado Fábio por todo aprendizado que tive contigo.

Ricardo Wrege

Desde que me conheço por gente um dos meus maiores ídolos e o Fábio, por ser um dos maiores ginetes da história e principalmente pela pessoa que é sempre a mesma pessoa, seja na final da Vacaria, na cancha do Prado, em Jesus Maria ou em qualquer galpão de estância. Sempre fui um apaixonado pela gineteada, e me criei nesse meio, junto com meu irmão mais velho que era da mesma turma dele. Pra mim uma das principais virtudes do Fábio e o quanto ele cresce em uma festa de gineteada, quem conhece ele sabe que depois de ele está em uma final pode vir até o diabo pro palanque que não derruba ele, ainda mais se o prêmio for grande. Mas não é só assim que é difícil derrubar ele, lembro quando eu era pequeno, que fomos para o Chile, para uma festa que havia em benefício a um lar de crianças excepcionais, na qual era feita uma visita ao lar nos dias antes da festa, visita essa que mexia muito com o emocional das pessoas que iam, após isso na festa tocou uma oveira para o Fábio, a mais braba que tinha na tropilha, e ela moveu ele pelo segundo pulo, algo que parecia não ter mais volta, e de uma forma impressionante ele voltou e botou uma gineteada impressionante nessa égua, após acabar a festa, em uma roda ele contava que naquela movida que parecia não ter volta ele olhou para o chão e pensou em todas as crianças do lar, e que não poderia decepcionar elas, e só conseguiu voltar por causa disso. Como essa lembro de várias histórias que fazem dele esse ídolo é essa pessoa incrível que é.

Rouget Wrege

Fábio Oliveira! O que dizer que já não tenha sido dito? Falar do ginete é chover no molhado, falar da humildade, todos sabem. O que talvez nem todos saibam é que o caráter, a bondade e a tranquilidade do Fábio tem base em uma família com o mesmo perfil que vemos nele, fui morar em Pelotas no ano de 95 e aí comecei a conviver com com Fábio tia Onira e tio Ruy e seus irmãos primos podendo verificar um real sentimento de amizade, de pessoas boas e de corações abertos . Não conheço nenhum verdadeiro campeão que não seja uma grande pessoa, e com o Fábio não é diferente, mas alguém de uma excelente pessoa tem uma base sólida. Já o vi cair e levantar na gineteada e na vida, já o vi ganhar as maiores festa,  parar invictos, voltas de honor, e baixar cavalos fáceis, o que nunca vi foi ele reclamando, se queixando ou brigando por nada, isso é uma característica de um grande homem.

Xiru Azambuja

Falar de Fábio Oliveira, muito difícil... falar desse homem...Bahhhh...Fabio tem uma peculiaridade diferente, tem um estilo reto de ginetear, um home que para qualquer cavalo, um ginete que só monta nas grandes festas, tranquilo, franzino, homem que gineteia cavalo de volta, cavalo de frente, gineteia incrinado e tem um cintura diferente.

Rogério Villagran

Fabio Oliveira, é uma das grandes referências nos países da américa do sul que levam a diante a cultura da gineteada, tendo em sua história uma larga contribuição por ter participado dos mais importantes certames, montando cavalos renomados de grandes tropilhas e sendo premiado diversas vezes. Sem dúvida, Fabio faz parte duma leva de ginetes mais antigos, que hoje serve de inspiração para tantas boas promessas que vemos surgir a cada temporada, trazendo em seus estilos, um pouco do conhecimento que este homem, em especial, deixou e ainda expõe sempre que há uma possibilidade de montar em alguma gineteada. Fabio Oliveira além da sua maestria como ginete, possui um caráter e uma postura incontestável, entre outras qualidades que lhe deram o direito de ser admirado e respeitado por muitos. Esta monta especial para a qual Fabio Oliveira foi convidado, e onde montará na grande égua LA TOMBOLA, mostra para nós, que o admiramos e respeitamos, o quanto o valor dum homem ginete deve ser considerado e colocado em destaque, pois desta forma muitos terão a oportunidade de mais uma vez poder lhe assistir fazendo aquilo que sempre fez com capricho e amor pela gineteada. Penso que, os grandes prêmios conquistados, os cavalos importantes que montou, a amizade que fez com outros ginetes, tropilheiros, palanqueiros, amadrinhadores, avaliadores, narradores, e admiradores, são de Fabio Oliveira, as maiores vitórias, que devem servir de exemplo para os que possuem entre os seus sonhos e objetivos, a vontade ser um grande ginete. Parabéns, Fabio, parabéns, Coruja e Humberto, e tenham a certeza que vocês estão fazendo o que deve ser feito pela gineteada e isso será reconhecido por todos que da mesma forma que vocês, querem esse movimento fortalecido e renovado, com atitudes pensadas em um bem comum que é a nossa tradição ser mantida e dela podermos também sentir que sim, a formação do caráter dum homem, deve ter em seus alicerces, um cultura forte, onde a gineteada pode ser uma grande esperança. Que seja um lindo momento essa monta especial, e que ele deixe entre todos que poderem assistir, a vontade de que isso se torne costumeiro, tendo no seu maior princípio, o devido respeito a nossa arte e a quem por ela se disponibiliza.  Um grande abraço, sorte, êxitos, e que Deus e Nossa Senhora Aparecida protejam a todos.

Darci Renato Petim

O Fábio foi um dos grandes ginetes de todos os tempos. Um grande amigo. Uma pessoa que conquistou seus títulos por talento. Um exemplo a ser seguido.

Rodrigo Pinheiro

Conheci o Fabio em 2001, no seu auge, campeão da Vacaria e Prado, logo que vim pra pelotas, ele era uma lenda viva, ícone campeão da vacaria e simplesmente em uma exposição sentou em uma roda julguem como quiserem de novatos, sonhadores da arte e trato todos com carinho e atenção e eu estava ali.
Eu sou suspeito de falar desse cara, tenho ele por ídolo como ginete e pessoa, homens como ele são ímpares e vieram no mundo para serem seguidos, idolatrados e respeitados.

Pierre Rocha

O Fábio pra mim é um espelho, exemplo de pessoa e de ginete, acho que a maioria dos ginetes se espelham nele, tenho uma admiração enorme por ele, sem duvidas é uma pessoa de um carisma enorme.

Cássio Gonçalves

Fábio um homem ginete como poucos, que fez sua história no lombo do cavalo aporreado, um homem de um caráter, humilde simplicidade.
Não tem muito o que falar desse cara é um exemplo a ser seguido no mundo da gineteada.


Por fim, um super depoimento, vale muito ler...

Carlos Corbo


Quando recebi convite para relatar sobre um amigo, lembrei logo do Vitor Esevich, quando diz “ a sensação que sinto deve ser a mesma que sente um potro quando palanqueado por primeira vez”.
Quanto orgulho sinto dessa lembrança feita pelo VOLTA DE HONRA, me traz recuerdos, de tempos idos , de pessoas amigas, de momentos únicos que a arte da ginetiada nos proporciona e ficam tão vivos em nossas vidas que nos fazem viver cada dia com a certeza de ter deixado uma contribuição à nossa cultura.
Vou me limitar a narrar alguma passagem, desta forma espero ilustrar o que muitos sentimos, está demais falar em base familiar, respeito, humildade, amizade, enfim falar em FABIO OLIVEIRA é redundar em exemplo de conduta e retidão.
Uma passagem curiosa, se deu no Prado (Montevideo-ROU) em 2000,a delegação do Brasil tinha vários| “ pata-pesada ” , na época o campeonato era em pelo e basto oriental, onde os participantes montavam em uma modalidade por dia, em dias intercalados. No último dia, após cumprir a monta e computar os pontos, estes eram anunciados ao público após cada montaria,  o Derby Arbizza, dos grandes ginetes da pátria charrua que vinha “peliando na ponta”, pergunta ao Renô Freire Villagran, “monstro das clinas”, quantos pontos tinha acumulado? E este responde 12 ( os números são ilustrativos, não vou lembrar com exatidão), desolado o Arbizza diz – bahhh tenho 11,75- ; Renô: - tá bem, ficamos os dois  em primeiro e segundo, mas não serviu o consolo, o campeão uruguaio se retira desolado....após algumas montarias, o Fábio que esse dia montava em basto, pois havia concluído a participação em pelo no sábado, deixa, mansamente escapar algumas palavras com a boca entreaberta:-....guris...acho que tenho 12,25 pontos....o  místico templo da ginetiada tinha campeão.

Assim, quero apenas registrar o perfil despretensioso desse que tem o nome gravado entre os grandes, e assim será lembrado, onde houver “venda” caíndo e brutos arqueando o lombo.
















2 comentários:

  1. Ademar Lazzarotto26 de maio de 2017 19:34

    Tive grande honra em receber o Fábio em diversos rodeios que organizei sempre uma pessoa cordial e amigo de todos,estava na cancha da ferradura quando ele levou a s10 de premio.só posso desejar boa sorte aele nesta topada com la tombola,vou fazer de tudo para estar em Arroio Grande,pois ver ele e o Renato Petim no combate não é pouca coisa,boa sorte aos dois AMIGOS forte abraço Ademar Lazzarotto

    ResponderExcluir
  2. Falto o nome Silvio Correa nos ginetes do tempo do Fabio, por favor nao esqueçam essa outra lenda viva da ginetiada. Parabens a materia e ao meu amigo boca fabio oliveira

    ResponderExcluir