domingo, 31 de dezembro de 2017

Simplesmente Tropilha Floresta


Uma história de sucesso, Tropilha Floresta de São Gabriel para o mundo!

Seu fundador Reinaldo Garcia de Menezes, iniciou em agosto de 1978, portanto há
exatos 39 anos a famosa Tropilha Floresta teve inicio aos seus trabalhos como uma das
pioneiras no estado.

Reinaldo Menezes com 3 filhos, Reginaldo, Brinalda e Romualdo.

Romualdo assumiu a tropilha em 2008 e segue com aproximadamente 40 aporreados
nos campos, entre éguas de cria e os cavalos em atividade.

Entrada da Estância - São Gabriel

O começo foi com a finalidade de um treino para dois companheiros que iriam
apresentar-se na Festa do Peão de Boiadeiro em Barretos – SP, Darcy Motta e José
Machado. Como na época poucos eram os cavalos aporreados procurou com seu Tio da
cidade de Cacequi – RS, que possuía muitos cavalos alguns potros e cavalos mechidos ,
e foram experimentados e de lá veio 8 animais, entre eles – Merengue, Pirulito, Quero
Vê, Jaguatirica, Piorra e outros.

Muitos cavalos surgiam de Trocas, de animais que eram pegos para doma e outros
negociados com comprador de cavalos de descartes, eram potros criados de 8 ou 9 anos
já de raça caborteiras, como os Bragados e Oveiros da Estância Bela União, e alguns
cruza de Arabe da Estância Dos Assis Brasil.

Ás vezes sendo alguns presenteados por fazendeiros amigos, onde surgiram cavalos
como: Rainha, Xará, Figueira, Baio Cacequi, Morocha, Serrote, Batalha, Libertador,
Rosilho Maleva, Chiquinha, Rebuliço, Cruzeira dentre outros.

Mais tarde outros cavalos surgem: Morena, Chacarera, Badana, Diabo Loiro, Chaquira,
Guarani, Arrenegado, Pato Preto,Temporal e Diaba Loira.

No inicio as participações da Tropilha eram gratuitas, simplesmente por amizade, indo
assim várias festividades como Rodeio de Cacequi, Santa Maria, Caçapava do Sul e em
São Gabriel. Pois na época a maioria das tropilhas pertenciam aos CTGS, como CTG
93 de Bagé, CTG Prenda Minha, CTG Julio de Castilho e o Porteira de Rio Grande de
Vacaria.

Em Santa Maria, na AT Estância do Minuano participando de vários Rodeios Estaduais
e quase que todos as edição do Cone Sul, chegou nos primeiros anos levar mais de 100
reservados.

Tropilha atual: Vaneira, Assombro, Cigana, Porrete, Garrucha, Queixinho, Bagaceiro,
Bota Fora, Redemoinho, Piradinha, Santa Clara, Espoleta, La Moneda, Roleta,
Sussegô, Milongueiro, Buteco, Gemada, Madrugada, Gangorra, Dona Bela, Aperitivo e
Bibelô.

Potras: Mini Saia, Rubra Rosa e Chacarera.

Eguas de crias: Chaquira, China Gorda, Viúva Negra e Floresta.

Sendo que neste ao de 2017 tivemos duas grandes perdas (mortes) de reservados
importantes na modalidade de pêlo Sarita em 22/11/2017 e Gigolô em 18/12/2017.

A tropilha que alçou grandes ginetes ao mundo dos rodeios, José Machado, Darcy
Motta, Antonio Rosa, Paulo Ramires, Reno Villagran, Luis Adelar, José Edgar Antunes,
Ademar Mattos, Luiz Vaqueiro, Aldoir Nunes,Gercison Machado,Juliano Rocha, Vitor
Ramires, e tantos outros...


Desfile 20 de Setembro - São Gabriel




Romualdo Menezes x Guarani

Foto da tropilha em 2000



Lista concorrer aos melhores do ano 2017

1- VANEIRA
2- ASSOMBRO
3- CIGANA
4- PORRETE
5- GARRUCHA
6- QUEIXINHO
7- BAGAÇEIRO
8- BOTA FORA
9- REDEMOINHO
10- PIRADINHA
11- SANTA CLARA
12- ESPOLETA
13- LAMONEDA
14- ROLETA
15- SUSSEGÔ

REVELAÇÃO: CIGANA

MELHORES DO ANO: VANEIRA E ASSOMBRO


A lenda Conhaque

Cavalo de aproximadamente 30 anos que chegou a tropilha pelos anos de 90, oriundo da
troca de outros animais com a Companhia de Rodeios JJ de São Paulo, nascido em
Cachoeira do Sul, sempre com grandes espetáculos em suas passagens pelas pistas.
Aposentado em Caçapava do Sul em 2014 com a montaria de Rafael Safons, e ainda
pasta nos campos da Estância Floresta.



Res. Conhaque 2017

Res. Conhaque x Reno Villagran













Camisetas e Baby look Volta de Honra

051 995101639


Camisetas e Baby look Conhaque

051 995101639




051 995101639

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Darci Motta - Estilo de Estância

Darci Motta Ramires,


Um ídolo e inspiração a todos os ginetes, nascido e criado em São Gabriel, RS.
já com seus 61 anos de idade e trabalhando de capataz em uma estância no interior de São Gabriel, no distrito do Tiaraju.

O homem rudi, legitimo homem do campo, bombacha larga, gineteava atirado pra frente, onde botava a espora não tirava, dificilmente caia de cavalo e ao passar dos anos foi se desenvolvendo na técnica do uso do talero.




Com a vida no campo e rodeios criou muito bem seus filhos, Vitor Ramires, 36 anos e Vaguener Ramires, 27 anos e com muito orgulho hoje desfruta do convívio dos netos, Maria Alice, 10 anos e João Vicente, 4 anos.
No pelo ou no basto oriental, ali estava. Até se arriscou no basto aberto e na gurupa, mas não era seu forte.


1. Quantos anos iniciou a competir?

15 anos, profissionalmente.

2. Quem o incentivou?

Foi por minha própria vontade, sempre gostei desta arte.

3. Quais os melhores ginetes que conviveu?

Os Silvas, Aníbal e Gabriel, José Machado "Neguinho", entre outros tantos, mas estes sempre foram destaques.

4. Quais os melhores cavalos, mais duros que parou?

Tostado Rosinha, da Tropilha de Jaime Pietro e Badana da Tropilha da Floresta.




5. Quantos invictos quebrou?
Foram muitos pois me foge da memória alguns nomes.

6. Qual a diferença de antigamente para agora?

Hoje o pessoal está mais profissional, treina mais preparo físico pois antigamente não existia tantos rodeios como se tem hoje pois o pessoal de antigamente era mais do campo, homens que viviam em estância domando e o treino era o dia a dia.

7. Quais os principais títulos?

Foram vários mas os que mais me marcaram foi o 4x da Estância do Minuano em Santa Maria RS e o Rodeio dos Campeões de Lavras do Sul RS, entre outros, mas estes foram os mais duros de ganhar.

8. Destaque dois ginetes diferentes?

Aníbal Silva e Gabriel Silva.

9. Quais as melhores tropilhas que teve o prazer de conviver?

Tropilha Floresta e a Tropilha de Raul Benício Artur de Vichadero que levava cavalos nos 2 principais rodeios internacionais da época, Vacaria, RS e Semana Crioula de Bagé, RS.

10. Histórias?

 - Ahhhh são várias que se fosse contar daria pra escrever um livro, histórias de muntas, cavalos veiacos, rodeios, etc... (Sorrisos).

Volta de Honra: (aqui vem coisa boa ainda), aguardem.

11. Mande um recado para os que se inspiram no senhor?

Sigam sempre os seus sonhos e nunca desistam daquilo que almejam.








Colaboração e agradecimento especial: Taísa (Nora), Vaguener (Filho) e Xiru Azambuja.




Camisetas e Baby look Volta de Honra
R$ 40,00
051 995101639


Camisetas e Baby look Conhaque
R$ 40,00
051 995101639


Camisa Volta de Honra
- Azul Marinho
- Bordo
- Azul Claro
R$ 120,00
051 995101639



Últimos Cangurus!

Cinza, azul marinho, bordo e preto!
R$ 100,00
051 995101639



Bonés Volta de Honra

Bordo com aplique R$ 80,00
Marrom e azul com aplique redondo R$ 60,00
Preto, cinza abareta, cinza aba normal, bordo e azul com aplique R$ 50,00
051 995101639


Jaqueta Impermeável Volta de Honra
R$ 170,00
051 995101639



Últimos Soft!

Preto e marrom
R$ 100,00
051 995101639


sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Índio Ribeiro, eternizado na gineteada

Ivan Francisco Ribeiro, apelidado de "Índio"

Nascido em 1979 e criado na cidade de Lages e que por força do destino nos deixou tão cedo, deixa dois descendentes, Francisco e Amabli.

Índio? Porque ele era muito franzino, sempre cabeludo, melenudo, andava muito sem camisa e sempre que podia andava a cavalo em pelo.



De família humilde sempre lidou e conviveu no meio do cavalo. No costado dos homens domadores e ginetes da região, em especial o Edson Vieira "Patacão", uma figura conhecidissima da serra catarinense.

Começou a ginetear com mais ou menos 12 anos, escondido... Pois os homens daquela época muito sistemáticos não deixavam ele nem assistir as gineteadas campo fora. Assistia escondido, até que um dia de tanto incomodar os ginetes mais antigos o deixaram montar uma égua afamada da região, e com 12 anos já parou ela.

Ganhador de seis motos, uma em Canelinha sacando o invcto do famoso Último Gole (na época vindo da Tropilha da Floresta direto pra Tropilha Aparecida de Tijucas de propriedade de Alexandro).

Em 2011 ganhou um carro no Herval onde um ano antes já havia sido Vice Campeão.

Ganhou uma moto em Joinville onde na voz de Patrick Freitas se eternizou o "ééé d'acavalo Ivan Ribeiro ... ééé d'acavalo Ivan Ribeiro", parando o até então invicto Gaúcho da Trop. Praiana.


Ivan Ribeiro morreu com 32 anos no dia 6 de novembro de 2011 no seu próprio Centro de Treinamento e doma em lages. 
Vítima de uma fatalidade, seu sobrinho foi passar um cavalo no açude e acabou caindo na água, Índio saiu correndo pra salvar ele, como o fez, empurrou seu sobrinho pra barranca mas acabou afundando. 
Segundo os médicos como era um verão de calor intenso, a provável causa da morte foi choque térmico, rompendo as veias do coraçao, e consequentemente o afogamento.   

Vem de uma familia de 4 irmãos, sendo Ivan o segundo mais velho.Três homens e uma mulher, que vem a ser a mãe do sobrinho que Índio salvou.    

Ivan também Fez história nos campos de doma dos irmãos Riceto da Tropilha La Setenciada, no desafio dos 10 em Minas y Abril no Uruguay parando uma baia com uma exagerada rienda larga e aberta. 
Único homem naquele ano a passa uma rédia em um cavalo la no Uruguai.                    

Quando morreu vinha se recuperando de uma lesão e ia montar seu último rodeio na Vacaria de 2012, ia se aposentar e se dedicar somente a doma e treinamento.

Seu irmao "sebo" ... Herdou o apelido de Índio  e se destacou como uma das vozes e guitarron no grupo Quarteto Coraçao de Potro, deixou o grupo a pouco tempo e esta com um projeto novo. 








Rogério Villagran,

Existem pessoas que escrevem a sua historia com muito pouca coisa... Eu conheci um homem que escreveu a sua, apenas com um par de esporas de ginetear em pelo e uma rédea pescoceira!!!! Apenas isso!!! Ele era índio!!!! Os índios são exímios cavaleiros apenas saltando em pelo sobre o lombo do cavalo... E este índio que eu conheci era o melh...or de todos!!! Não sei de qual tribo ele era, mas sei que todas as outras “tribos” o idolatravam e admiravam... Muitos queriam ser índio que nem ele!!! Ser o índio que ele era, ter a mesma coragem, a mesma destreza, saber das manhas que só ele sabia... Ter, da mesma forma, o domínio que ele tinha sobre os seus objetivos, quando lentamente ele caminhava na direção do palanque onde lhe esperava, atado, mais um capitulo da sua estória, que ali continuaria sendo escrita!!! Um cavalo aporreado!!! Poderia ser qualquer um... Poderia ter qualquer pelagem... Desde que fosse muito veiaco!!! Que tivesse um nome que intimidasse... Que fosse desafiador... Que tivesse fama... Que fosse invicto...Que fosse uma topada dura...e alem disso tudo, que fosse muito veiaco!!!! Por que assim ele poderia dar continuidade a sua história... Gineteando!!!! Eu vi este índio ginetear... E agora vejo o quanto, foi importante aquele grito que eu dei, junto a tantos, que também gritaram na beira da cerca... Não froxa Indio!!!! Quando a mão do palanqueiro puxou a soga ali no seu pedido de “solta”... Muitos tombos, Muitísimos triunfos...isso tudo faz parte de uma história!!!! História de quem gineteava muito... Um homem muito de a cavalo...um ser humano perfeito!!!! Com todos os defeitos e todas as qualidades que todos nós, temos o direito ou obrigação de ter... Creio que isso sim, faz uma pessoa ser perfeita!!!! Eu lhe admirava muito, lhe tinha um carinho enorme... Era um índio amigaço!!! Um índio gaúcho!!! De poucas palavras, mas palavras verdadeiras... E, porém muito irreverente quando podia ser!!! Alguém que sei que tinha o mesmo respeito por mim... Sempre dizendo: Rogério, quando vier a Lages aparece la por casa pra tomar um mate!!! Sempre vou dar muito valor a sua imagem e a sua história, ainda mais porque sei, que ela foi escrita apenas com um par de esporas de ginetear em pelo e uma rédea pescoceira...isso é para poucos meus amigos!!!


Robson Vieira Juca

Numa tarde dias após o rodeio do Herval

"Eu tava no galpao limpando as cocheiras e o Índio chegou no corredor e se sentou num balde velho que tinha e como de costume o homem não comentava de gineteada, sistemático que só ele... Depois de uns 15 ou 20 min de conversa ja que ele não falava me obriguei a perguntar como se tinha andado no rodeio do Herval...
Indio respondeu; "Deu boa, andei bem!" Baixou a cabeça e se aquietou. 

O "cara" agoniado pra saber como tinha dado o resultado, se tinha premiado no rodeio, perguntei como foi e se pegou prêmio...
Indio respondeu; "Este ano deu boa, ganhei o rodeio dos home"...
Quando salto pra fora do galpão pra dar um tchau a Índio me deparo com algo novo, ali estava o automóvel zero km, prêmio do Internacional do Herval!

Rafael Arruda,

Convivi pouco com ele. Nao tão pouco, mas pela pessoa que era queria poder ter convivido muito mais. 
Um homem muito tímido, humilde , muito quieto. Bem quisto e bem visto por todos. Quem um dia ouvio falar em gineteada parava pra ver Índio Ribeiro montar... Um estilo diferente, melenudo, bombacha larga e chapeu tapeado. Rasgava uma rédia larga num estilo "elegante" de ginetear. 
Ali era o palco dele... foi pra ginetear que ele nasceu!
 Dificilmente caia de um cavalo, e quando não o parava... Sempre saia em pé! Rara a vez que um cavalo colocou Índio Ribeiro de todo corpo no chão. 
 Podem surgir muitos redieros na cidade de Lages... Como teve Júlio Cesar Gamborge, na sua época e Adalmir Arruda "Porvinha", nos dias de hoje, entre outros... Mas igual a Ivan Ribeiro... não existirá ninguém!


Júlio Gamborgi,

Uma pessoa amiga, honesto, trabalhador.
Pra mim era dos homens mais ginetes de rédea que pintou por aí, até acho que ainda não tem igual a ele de rédea.







Já iniciamos o verão, camisetas Volta de Honra. 

Valor R$ 40,00 + frete


Coleção lendas vivas, Raposa da Guabiju.
R$ 40,00 + Frete


Coleção lendas vivas, Conhaque da Floresta. 
R$ 40,00 + Frete 


Aguardem que vem aí a lenda Combate! 





segunda-feira, 24 de julho de 2017

Roque Irai Silveira - Imbatível na final




Roque Irai Silveira, hoje com idade de 53 anos e com residência em Palhoça/SC, mas nascido e criado em Coronel Vivido/PR.
O pai da Larissa de 25 anos e José Guilherme 3 anos, casado com Adriana.

Imbatível na final, homem da rédia ou da crina. 

Entrevista com respostas simples e objetivas de um dos ídolos de Santa Catarina.





1. Quantos anos iniciou na gineteada? 

13 anos.

2. Como começou? 

Montando na fazenda em burros com o pai.

3. O que lhe faz gostar de Gineteada? 

Porque fui criado no campo e a diversão dos domingos era montar em terneiros e potros.

4. Alguém lhe incentivou?

José Guilherme Silveira (meu pai).

5. Quantos carros e motos de prêmio? Onde? Quando? 

2 motos, Praianos 1997 e Figueira Velha 1999.

6. Quais os títulos mais importantes na carreira? Quando? Como? 

Campeão do 1º rodeio dos campeões brasileiros em Guarapuava/PR, Praianos em 1997, ficar em 10ª na vacaria, Campo dos Bugres fiquei duas vezes em 2º lugar e 2 vezes em 3º.

7. Quantos invicto tirou e o nome?

Chumbo Grosso do Polaco, Poltrona do Xerife, cavalo 20 do Salesio da Conceição.

8. Quais os melhores cavalos montou? E de que era? 

Próxima Vítima do Ari Nunes, El Ninõ na época era da minha tropa, Bota fora do Polaco

9. Qual o segredo do sucesso? 

Fazer bastante exercício físico, dormir bem, não beber e principalmente ganhar do cavalo.

10. Qual o sonho de rodeio, aquele que já ganhou ou que lhe faltou ganhar?

Vacaria.

11. Qual animal que não muntou e que ficou com vontade de muntar? 

Conhaque e Combate.

12. Quais os 3 ginetes considera  melhores na atualidade? 

Renato Petim, Felipe Felix e Luan Gabardo.

13. Quais os 3 melhores Ginetes teve o prazer de conviver?

 Adenir de Oliveira, Gato Preto e Luiz Alberto Soares.

14. Quais os cavalos considera melhor na atualidade? 

Combate, Pirulito e Praianinha.

15. Como é sua rotina fora do rodeio? 

Domo cavalos, burros e galista.

16. Pouco dá sua história ? 

Nasci no estado do Paraná, me criei no interior de São Paulo e com 25 anos vim pra Santa Catarina. Montava em todo o sul e tinha tropa de cavalos aporreados.

17. Conta uma história que considera importante seus admiradores saber? 

Quando estava disputando um carro em Caxias do Sul quando parei o cavalo Figueirão da tropa do Solam tirei as mãos do cavalos e bati palmas.

18. Manda um recado a quem se espelha no senhor? 

Nunca desista dos seu sonhos e confie em você mesmo.

19. Qual o futuro da gineteada? O que o senhor acha e espera para o futuro? Quais nossos passos? O que precisamos fazer? 

A gineteada nunca vai acabar, porque é a atração do rodeio, os CTG dos rodeios estão esquecendo, mas o público não esquecem. Porém os organizadores não estão  valorizando os ginetes, por exemplo na minha época não se pagava inscrição e tinha prêmios bons. Espero que os tropilheiros tenham consideração com os ginetes e procurem colocar cavalos que deem condições de ginetear.













Você que não tem a camiseta do #eternokito, tem mais uma chance. 
Do lote feito sobraram algumas peças, o valor do lucro já foi repassado a família, mas ainda sobraram algumas peças. 

Masculino: 6 peças. 
Feminino: 14 peças. 

Valor R$ 40,00

Contatos:
Leonardo Marques
Betinho Venturini
Xuxa



sábado, 22 de julho de 2017

"No giro da gineteada" Morre Res. Poca Coisa da Floresta

“No giro da gineteada”

Morre Res. Poca Coisa da Floresta

Nesta semana tivemos uma baixa na gineteada, faleceu com aproximadamente 25 anos a égua Poca Coisa da Trop. da Floresta, de Reinaldo Menezes.

Atualmente estava em Bagé na reprodução, Poca Coisa deixa um potro de um cruzamento com um filho da égua Pátria.
Pouca Coisa tem descendência da Estância São Gabriel, de Sr. Vergílio Vargas e por por volta do ano de 2000, foi comercializada por Sr. Namir Leal, Tropilha Aragana de São Gabriel. 

Anos mais tarde, no rodeio universitário de São Gabriel, ela dá o primeiro prêmio na gurupa, para Geferson Nascimento (Zozo).
Passado algum tempo, com o fim da tropilha do Sr. Namir, ela é adquirida pela Tropilha da Floresta, do Sr. Reinaldo Garcia de Menezes.
Por se destar com seu corcoveo, firme, rápido, continuo e elegante, a mesma se torna uma reserva especial.
Égua de luxo, cobiça por todos ginetes.
Égua de encontro de tropilhas e montas especiais.

Falando em encontro de tropilhas, um dos ginetes que mais montou ela, podemos dizer que tenha sido Tiago La Flor. (Tiago, um exímio parador de cavalos, conhecedor, respeitado nesse meio e atualmente considerando o melhor avaliador de rédeas do 1° semestre de 2017).
Por anos seguidos, sagraram-se campeões nos encontros de tropilhas de Caçapava do Sul e São Gabriel.
Praticamente formavam uma dupla perfeita.
“Reza a lenda, que o La Flor, quando ia para os encontros de Caçapava do Sul, levava a égua no porta malas do carro”.
(Esse era o comentário dos seus amigos), comenta Lá Flor.

Prêmios de expressão que ela deu.
01 - moto 0 km para Nelmar Dornel - Livramento;
01 - moto 0 km para Juliano Rocha - São Gabriel (encontro de tropilhas);
01 - moto 0 km para Tiago La Flor - Caçapava do Sul ( encontro de tropilhas).



Égua de respeito e valor, pois em todos os leilões que participou sempre ficou entre as mais caras e sempre premiado quem a parava com exibições excelentes.













sexta-feira, 14 de julho de 2017

Vacaria dos SONHOS???????? Ou a Vacaria dos DESAFOROS?

Vacaria dos SONHOS???????? Ou a Vacaria dos DESAFOROS?

Ultimamente temos visto inúmeras postagens de descontentamento com a Vacaria, mais precisamente com o seu organizador da gineteada, preço alto, (altíssimo, fora da realidade do orçamento familiar). Como já ouvimos muito por ai, “- Ano passado fui a todos os dias lá com R$ 1.000,00 e ainda montei”. Então meu amigo, esse ano não vai dar!


Falamos de uma Vacaria, essa sim dos sonhos no ano de 2016, ginetes convidados, não pagaram Inscrição, os ditos amadores pagaram um valor acessível e tiveram ótimos prêmios e ainda os melhores foram de graça ao segundo final de semana, cavalhada de ponta, juízes qualificados e tudo mais… Mas aí estamos falando de uma escola diferente, uma escola onde ginete não pagava nada e ainda concorria a carros e motos, enfim, os tempo mudaram… Mas ao ponto de chegar a R$ 1.000,00 para montar um cavalo que tu nem sabe o que vai fazer? Ao ponto de valer um carro só?
Isso o Herval já deu esse ano, carro, moto, os melhores profissionais e cavalos de ponta a R$ 600,00.
Ademar Lazzarotto, Jairo Sais dentre tantos outros organizadores com a sua equipe merecem total reconhecimento.


Agora falamos do cenário atual, um organizador de eventos cujo hoje sua rejeição chega a 90%, e isso nem precisamos fazer pesquisas, e isso não é o Volta de Honra que está dizendo, isso são todas as postagens do Facebook, conversas paralelas e tudo mais… A falta de caráter, por parte do mesmo é algo que todos comentam.
Uma postagem no Facebook essa semana tem mais de 150 compartilhamentos, quase 1000 curtidas e mais de 150 comentários, todos em apoio aos ginetes, e em destruição a gineteada da Vacaria e seus organizadores.

Leia abaixo a ENTREVISTA do patrão Pingo Resende a rádio Esmeralda.
“O patrão da campeira do CTG Porteira do Rio Grande, Clodoaldo Rezende (Pingo), confirmou que os mais de 500 terrenos para acampamento na área campeira, já estão sendo comercializados. Ele disse que os valores são diferenciados conforme a localização de cada um, mas a procura já é grande.
Pingo Rezende também falou sobre as inscrições para as competições campeiras nas diversas modalidades que já estão abertas e podem ser feitas através do site do CTG Porteira do Rio Grande e do Rodeio. O competidor pode se inscrever antecipadamente e pagar com cartão de crédito.
Uma polêmica entre os ginetes que irão competir no rodeio é o valor que está sendo cobrado pelas inscrições. Os ginetes que irão competir a partir da quarta-feira dia 31 de janeiro de 2018, terão que pagar R$ 1.100 reais de inscrição.
O patrão Pingo justificou que o valor pode ser um pouco elevado, porém os custos são muito elevados, desde o aluguel de cavalos, transporte e premiação. Pingo afirmou ainda, que certamente todos os ginetes conseguem patrocínio para participar das gineteadas devido a magnitude do evento”.


E agora??? Como se fosse fácil arrumar um patrocinio de R$ 1.000,00… Se hoje em dia não se arruma nem um de R$ 300,00.
Sem contar em nível de ginete, fama ou por ganhar prêmio, pois para os ginetes novatos ou com menos expressão dentro do cenário da gineteada então fica pior ainda.
Será que não estão se abusando da Vacaria, ser a Vacaria e “meter a faca” em todos…
Os terrenos são uma fortuna, as inscrições também, os preços dos profissionais são os mesmos, por que isso é basicamente tabelado… enfim, quem faz rodeio sabe bem disso.

Porque que rodeios privados conseguem e com êxito, fazer bons rodeios e ainda dar bons prêmios e agradar a todos e a “Copa do mundo” com todos os patrocinios possíveis, espaço de comércio com valor acima de qualquer outro evento, e ainda apoios governamentais não conseguem?!

E dentro destes R$ 1.000,00 … Certamente deverá estar as 15 melhores tropilhas do estado, os 5 melhores avaliadores, os melhores narradores, palanqueiros, alimentação para os ginetes todos os dias e alojamento. Bom, aí sim começa a se justificar algo.
Mas provavelmente não, algumas tropas boas e outras em troca de favor, ou muito para ganhar dinheiro em cima dos menores, ou uma junção de tropilhas onde tem 1 ou 2 cavalos bons ou meia boca.
E as esporas serão fornecidas pelos organizadores? Ainda tem mais essa!



Parabéns aos ginetes que já possuem as suas vagas garantidas e aos rodeios que ainda estão junto com esse projeto. Mas e os demais ginetes, como farão? Não vão!


Mas e agora, o que será feito??? Existem algumas maneiras de tentar se fazer algo, basta ter a união entre os ginetes, união está que hoje não se tem. Não existe mais, alguns se ajudam e outros não, mas tá na hora de mudar os rumos para o bem de todos.


quarta-feira, 12 de julho de 2017

Geferson Luz de Oliveira - uma gana de ginetear incomparável


Geferson Luz de Oliveira - uma gana de ginetear incomparável



O homem que carrega a gloria de ser um dos homens mais ginetes que já pisaram em uma cancha de rodeios, Geferson Luz de Oliveira, mais conhecido como Chocolate, do Taim, Rio Grande que saiu para o mundo para conquistá-lo com seu tento, espora e relho, relho este que sempre foi sua marca registrada. "Uma gana incomparável de parar cavalos".

O pai do Cássio Oliveira, casado com a Juliana Rodrigues, Chocolate hoje com 32 anos iniciou a montar aos 18 anos em casa, em terneiros.
quando iniciou a ir a rodeios e o que sempre lhe motivou muito foram as amizades que se faz dentro do rodeio, lembra muito que quem mais lhe incentivou sempre foram, Everaldo Domingues, Rafinha, José Luiz Passos e Rodrigo Ribeiro.

"Minha historia começou na infância ajudando meu pai na domas, comecei a pegar gosto pelas domas e pela gineteada. Ao passar dos anos um dia tive um convite de ir a um rodeio, um amigo me convidou, em seguida já sai montando por ai e no meu terceiro rodeio já consegui sair campeão, ressalta Chocolate".



Chocolate que carrega no currículo inúmeros títulos, mas lembra os mais importantes, um carro em 2011 no Morada do Sol, uma moto em 2011 no Garrão do Pampa, uma moto em 2007 na Rinconada e Rodeio Internacional do Cassino onde levou seu primeiro prêmio na carreira. 
Mas nem só de prêmios se vive na gineteada, outros prazeres o acompanham, quebrar o invicto do Café pra Louco da Tropilha do Solom Matos e do Corvo da Tropilha da Grota são feitas comemoradas.
Parar grandes reservados foi algo comum na sua carreira, o respeitado Balconeiro da Minuano, Café pra Louco de Solom Matos, Madrasta da Tropilha Ressaca e Fiona da Tropilha Chacarera tem suas lembranças e orgulho especial.

Humildade, palavra que vem a frente de tudo, mesmo tendo realizado seu sonho de menino que era ser campeão do Rodeio Internacional do Morada do Sol, não perdeu a HUMILDADE, ser considerado o melhor por muito tempo não lhe fez perder a essência. Hoje ressalta que Pierre Rocha, Felipe Alves Felix e Leonardo Marques possivelmente são os homens que andam um pouco a frente dos outros bons ginetes, não desmerecendo ninguém.

Das poucas realizações que lhe faltaram foi a de poder montar na Semana Criolla Del Prado e no cavalo Pelagraia da Tropilha Rincão do Potros, cavalo este que entra no time dos grandes reservados que já passaram pelos campos de gineteada.
Chocolate ressalta que hoje em dia alguns os cavalos e tropilhas chamam pouco mais atenção, Raposa e Brigadiano da Guabiju, Comissário da Matreira, Alegria e 3 Marcas da Grota, Carqueja e Pirulito da Rincão, Xispa e Limão da Minuano.




Tido hoje como um motivador dos novatos e espelho de muitos, Chocolate como não monta mais desde janeiro de 2014 segue ajudando como pode a todos que são apaixonados pelo seu mundo, o mundo da gineteada.


"Para ser um bom ginete seja sempre humilde e respeite o próximo". Geferson Luz de Oliveira



Agradecimento especial ao Vilsinho, sem ele esta matéria não sairia. Obrigado








Rafinha,
Geferson Olivera é um amigo que a vida me deu desde os anos de 2002, quando fiz uma festa campeira e o Chocolate surpreendeu a todos pelas suas montas, montou 3 cavalos na mesma festa (daqueles cavalos que todos sonhavam em montar, cavalos afamados) foi 3 paradas! Então aí começava uma carreira de sucesso, virou um ídolo da GINETEADA na cidade de Rio Grande.
Ele um apaixonado pela GINETEADA, fominha, não tinha dia nem hora.
Quando não tinha RODEIO fim de semana, a passada era la em casa, sempre tinha provada de cavalos novos e potros.
De família humilde e pessoas de fundamento, sempre surpreendeu a todos pela sua HUMILDADE.
Outro dom que a vida lhe deu foi domar /costiar um cavalo como poucos, porém muitas vezes já chegava do rodeio lá por terça na estância e quinta já estava de saída para outro rodeio ou provada. ( Kkkkk )
Aí todos se perguntavam sera que ele doma parando tão pouco na estância? Mas sim domava e costiava da boca como poucos.

HOJE SENTIMOS A FALTA DELE DENTRO DE UMA PISTA DE GINETEADA E DOMANDO NA ESTÂNCIA, MAS AO MESMO TEMPO AGRADECEMOS A DEUS POR ELES ESTA AQUI ENTRE NÓS, RODEADO DE AMIGOS QUE A GINETEADA LHE DEU.

Três coisas marcam a carreira desse homem até parar forçado por causa do acidente: 

GINETE não preciso nem falar! 

DOMADOR uma praga, acho que ele benzia kkk porque era demais os bicho da doma dele, só o dia que alguém monta nos bichos da doma dele vai dizer que ele domava muito, se na época ele tiveste focado na doma hoje tava rico.

HUMILDADE nem se fala, família de fundamento trabalhadores e pessoas sérias de confiança 100%. 


Rodrigo Pinheiro Coruja,
"Tchê um dos grandes amigos ginetes que tive atuando, gineteava por dom por homem de campo o RELHO era sua marca registrada de pouca técnica mas com uma gana ímpar de parar cavalos Aporreados. Sou fã dele nas duas pontas, homem e ginete".

Pierre Rocha,
"O chocolate é um dos homens mais elegantes que já vi ginetear e de um carisma enorme, de uma humildade incomparável. Acredito que ele é um espelho pra muitos, eu sempre me espelho nele tanto pela pessoa ou como ginete. Uma das melhores montas que já vi dele foi no reservado Balconeiro  da tropilha minuano, o melhor do mundo que vivemos (o rodeio) é amizade que construímos e levamos para o resto da vida, isso é o melhor prêmio que levamos pra casa. Geferson Oliveira conheci em um rodeio, mas que hoje faz parte da minha vida e que sempre aprendo com ele, embora ele não montando mais por uma fatalidade que todos nós (ginetes) corremos o risco, mas ele pra mim sempre vai ser um grande ginete! Sem dúvidas gostaria de ver ele montar de novo e imagino que não é só eu que queira ver"!

Willian Borges,
"Baixinho pra mim sempre foi uma inspiração, porque eu vi quase o início dele, e sempre foi muito ginete, muito mesmo. Vi ele ganhar inúmeros títulos, dentro deles o Internacional do Cassino, Expofeira, Morada, Garrão e outros muitos no Rio Grande a fora. Ando por Argentina e Uruguai sabe como é pegar a estrada por dias e ter um tempo de 8 segundos para  mostrar o motivo da tua viagem. Isso não é fácil e quem conhece sabe. Admirei ele muito quando competia nos rodeios porque nunca foi de pucha saco de ninguém, nego veio ia lá e fazia a parte dele... Deixo um recado pra ele que eu tenho meus santos aqui no meu peito que sempre viajam comigo onde quer que eu for, e pedi muito pra estes santos ajuda ele quando ele teve em uma situação delicada. Me ajudou muito, me ensinou muito e também quase me mato muitas vezes em um burro que ele tinha".


Rasga,
"Tchê um grande amigo companheiro de vários rodeios uma pessoa simples e humilde, na época que montava pra mim era dos melhores ginete. Lembro do primeiro rodeio grande que ganhou ele tinha uns 17 foi o rodeio Internacional do Cassino ganhou 5 mil reais nem sabia o que fazer com tanto dinheiro, hahaha e depois veio várias motos e um carro".

Sodré,
Primeiramente quero agradecer ao blog Volta de honra pelo convite a participar de uma matéria que vai contar a história que pra mim fala de um dos homens mais cavaleiros que já conheci. Fácil e ao mesmo tempo difícil falar, por que primeiro é um amigo e segundo um ser humano com muitas qualidades e posso até estar esquecendo de mencionar alguma. Geferson Oliveira popular Chocolate e para os amigos mais antigos "Baixinho" . Tive o prazer de conhecê-lo a muito tempo não saberia diser exatamente quantos anos faz, pesava uns 30 kg a menos é claro... Negrinho franzino de pouca conversa com quem não conhecia porém com os mais amigos meio pessadinho, até hoje! Qualificar um homem pelo seu desempenho ou qualidade encima de um cavalo é superficial, prefiro falar antes do ser humano que conheço: Uma pessoa excepcional, de um caráter incontestável, uma  hombridade de se  admirar e um grande pai de família... Enfim um cara transparente e sincero que não manda recados! Agora falando do ginete Geferson Oliveira, se não fosse uma ironia do destino estaria mostrando pra muitos até agora uma das coisas  que sabia fazer de verdade (ginetear um aporreado). Tive o privilégio de conhece-lo e reconhecer suas qualidades antes de muitos. Acompanhei toda a trajetória deste moreno, vi ele levantar muitos títulos e estive próximo também em quem sabe num dos momentos mais difíceis de sua vida (e que por ser o homem que é vem tirando de letra), como já falei " ironias da vida". Mas tive a grande honra de uma certa forma ter feito parte também de uma de suas melhores e maiores conquista, campeão do Rodeio Internacional do Morada Do Sol , levantando a chave de um carro 0 km! Ganharia outros? Sim muitos! Não fosse as peças que a vida nos prega. Nego Véio sem mais me alongar, tenho orgulho de nossa amizade! E saiba que pros lado de Viamão tem sempre um rancho de portas abertas esperando os Amigos!


Leandrinho,
"Geferson Oliveira um grande amigo que o rodeio me deu! Um cara Bueno gente fina de um coração enorme sem falar num baita ginete que foi um cara de um estilo inigualável que me agradava muito! Sempre bem agarrado nas esporas e a pau e com uma elegância fora do comum! Uma pessoa que fas muita falta dentro do rodeio mas se Deus quiser ainda vou ver este grande amigo voltar a fazer o que mais gosta que é montar um cavalo bem velhaco! Um forte abraço mano veio".


Vilson freitas,
Falar do chocolate é fácil pois além de ser dos amigos que conto nos dedos é meu compadre eu resumo ele como amigo "brincalhão". Um campeão e acima de tudo um guerreiro pois passar por tudo que passou sempre com sorriso no rosto não é pra qualquer um, acompanhei ele sempre e sei tudo que passou...
Chocolate onde chega é  bem recebido e muito querido por todos...
Um dos ginetes de estilo inconfundível pois dos mais "bonitos" Chocolate vai sempre ficar na história da gineteada, a cidade de Rio Grande deve muito a ele pois tenho certeza que hoje nossa cidade tem uma das melhores safras de novos ginetes e todos com toda certeza se inspiraram nele...
Essa homenagem é muito justa, ele merece!